Adicione tópicos

    Programa vai incentivar visitas a abrigos de PG

    Incentivar pessoas a ter contato com crianças abrigadas que estão fora do convívio social e familiar por algum motivo, seja abandono ou violência doméstica. Esta é a intenção do programa Lar Afetivo, lançado na manhã de ontem pela Vara da Infância e Adolescência da Comarca de Ponta Grossa.

    De acordo com a juíza, Noeli Salete Tavares Reback, não se trata de adoção e sim de incentivar as pessoas a conhecerem as crianças que vivem em abrigos e proporcionar a elas um convívio em sociedade que os lares, em sua maioria, não têm condições de dar. "A idéia é de que a criança abrigada tenha um amigo, uma pessoa que a gente gosta, mas que não vê obrigatoriamente todos os dias. As crianças precisam de carinho e os interessados, nesse programa, não adotam as crianças, apenas podem levá-las a algum passeio ou atividade esportiva ou cultural" , disse.

    Segundo a psicóloga que coordena o projeto, Simone Sanson, os interessados em participar do "Lar Afetivo" , podem, se quiser, adotar as crianças, mas esse não é o objetivo principal do projeto. "A adoção não é o principal foco, mas se houver possibilidade e vontade de ambas as partes, o programa não é um impeditivo" , salientou.

    Quem quiser ser um amigo das crianças dos lares de Ponta Grossa, através do programa "Lar Afetivo" deve seguir alguns passos. O primeiro deles é entrar em contato com a coordenação do programa através dos telefones, 3220-4921 ou 3220-4920. Depois disso, é feita uma entrevista para explicar os objetivos do projeto e preparar os interessados. Qualquer pessoa maior pode entrar no programa, não importando o estado civil, mas que não sejam dependentes de álcool ou drogas.

    0 Comentário

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)